Sintetizando: Filhos do Éden, Anjos da Morte – Eduardo Spohr

Saudações, meus queridos leitores Nerds!

Hoje eu trago para vocês as minhas impressões sobre segundo livro da trilogia Filhos do Éden, Anjos da Morte, do escritor nerd brasileiro Eduardo Spohr. Sobre os primeiros trabalhos do Eduardo clique aqui: A Batalha do Apocalipse, Filhos do Éden- Herdeiros de Atlântida.

Sinopse:

Desde eras longínquas, os malakins, anjos virtuosos e sábios, observam e estudam o progresso do homem. Mas eis que chega o século XX, e com ele a acelerada degradação do planeta. Os novos meios de transporte, os barcos a vapor e as estradas de ferro levaram a civilização aos cantos mais distantes do globo, afastando os mortais da natureza divina, alargando as fronteiras entre o nosso mundo e as sete camadas do céu.

Isolados no paraíso, os malakins solicitaram então a ajuda dos “exilados”, anjos pacíficos que há anos atuavam na terra. Sua tarefa, a partir de agora, seria participar das guerras humanas, de todas as guerras, para anotar as façanhas militares, o comportamento das tropas, e depois relatá-las aos seus superiores celestes. Disfarçado de soldados comuns, esse grupo esteve presente desde as trincheiras do Somme às praias da Normandia, das selvas da Indochina ao declínio da União Soviética. Embora muitos não desejassem matar, foi isso o que lhes foi ordenado, e o que infelizmente acabaram fazendo.

Carregado de batalhas épicas, magia negra e personagens fantásticos, ‘Filhos do Éden: Anjos da Morte’ é também um inquietante relato sobre o nosso tempo, uma crítica à corrupção dos governos, aos massacres e extremismos, um alerta para o que nos tornamos e para o que ainda podemos nos tornar.

Se em Herdeiros de Atlântida o clima era de uma aventura quase juvenil, em Anjos da Morte o escritor explora as reações humanas em um ambiente de guerra, e no que este pode nos influenciar. Acompanhamos então o personagem Denyel, que nos foi apresentado no primeiro volume da trilogia,  inserido no contexto histórico de grandes conflitos que já aconteceram em nosso planeta, em uma parte de seu passado, quando era integrante do grupo de alados intitulados como Anjos da Morte. Enquanto isso, no tempo presente, Kaira procura pelo amigo após os acontecimentos finais de Herdeiros de Atlântida.

20170215_171803De todos os livros do Spohr, este é o meu favorito. Pelas questões que aborda e pela maneira que ele insere ficção em meio a fatos históricos, sempre com sua narrativa descritiva impecável. Para melhor compreensão e acompanhamento da história, mapas e anexos são inseridos para serem consultados durante a leitura, tamanha a complexidade do universo criado.

Ao final do livro, encontramos também uma lista de reprodução com as músicas que são citadas durante a história. Se quiser ter uma experiência de leitura ainda mais rica, confira a playlist que montei no Spotify, basta procurar por Filhos do Eden – Spohr.

Já leu esta obra do autor? Deixe sua opinião nos comentários. Não esqueça de dar uma passadinha na nossa página do Facebook.

Até a próxima!

2 comentários em “Sintetizando: Filhos do Éden, Anjos da Morte – Eduardo Spohr

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: