Sintetizando: Fragmentado (2017)

Saudações, meus queridos nerds!

Assisti recentemente ao filme Fragmentado, do diretor M. Night Shyamalan e vou contar, SEM SPOILERS, a minha opinião. Lembrando que não sou especialista em cinema, apenas uma apaixonada por filmes.

DIRECTOR M NIGHT SHYAMALAN ON SET OF THE SIXTH SENSEM. Night Shyamalan ficou conhecido por grandes sucessos dos anos 90 e início de 2000 como O Sexto Sentido e A Vila. Seus filmes possuem uma forte característica em comum: o plot twist, ou a reviravolta no enredo, uma revelação final que chocava o público. Foi inclusive chamado de “próximo Spielberg”, mas um tempo depois decepcionou os fãs, mostrando que a previsão não se concretizaria. Por conta disso, muitos foram aos cinemas assistir a Fragmentado sem grandes expectativas. Alguns fãs ainda apostavam no trabalho do diretor, e essas pessoas estavam certas.

Fragmentado conta a história de Kevin (James McAvoy), que possui 23 personalidades diferentes habitando sua mente. Uma delas é Dennis, um sequestrador com Transtorno Obsessivo Compulsivo, que mantem três garotas em cativeiro. Dentre elas está Casey (Anya Taylor-Joy), que vai compreendendo a mudança de personalidades de Kevin e tentando se aproximar de uma delas: Hedwig, um garotinho de 9 anos.

Outra das personalidades que nos é apresentada é Barry, um designer de moda simpático que assume o controle (ou “luz”) durante as sessões com a psiquiatra, Dra. Fletcher (Betty Buckley). A Dra. trabalha há anos tentando provar que cada uma das personalidades é uma pessoa diferente, e desenvolve seus métodos para ajudar Kevin a controlar quem assume a luz. No entanto, nem tudo é o que parece, e as personalidades vão se mostrando cada vez mais fortes, enquanto acompanhamos a construção de cada personagem na história e tendo pequenas revelações a cada momento, nos preparando (ou não!) para o que nos aguarda no final.

split3-624x328

Um ponto que achei interessante, foi a construção da personagem interpretada por Anya Taylor-Joy. Seu passado vai sendo revelado aos poucos, e essas revelações se mostram importantes no desfecho da história. A atuação de James McAvoy interpretando o vilão multifacetado foi satisfatória, porém, ele abusou de expressões faciais para caracterizar os personagens, o que desagradou a alguns espectadores.

Lembrando que não podemos analisar um filme criado para entretenimento como documento de estudo. Fragmentado, embora retrate algumas verdades que ocorrem no Transtorno Dissociativo de Identidade, não é fiel ao tema, podendo até gerar algum preconceito contra os pacientes portadores de TDI.

Concluindo, o filme cumpre o prometido, e deixa uma brecha para uma continuação (desnecessária a meu ver). Vale a pena conferir, mas sem grandes expectativas que será o melhor filme de terror dos últimos tempos. É sim um filme muito interessante, mas não é exatamente assustador, seguindo o estilo do diretor.

Se você já assistiu, deixe sua opinião nos comentários.

Até a próxima!

Um comentário em “Sintetizando: Fragmentado (2017)

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: